Por que falam tanto de conteúdo e serviços?

Porque estamos tratando de interações. Também podemos dizer que são conversações ou diálogos que se estabelecem prioritariamente através das plataformas web e mobile. Ora, se os consumidores estão se digitalizando, se os conteúdos são digitalizáveis, se as experiências podem ser compartilhadas e se a miríade de novos consumidores é constituída de digital natives, o modelo de sustentabilidade de negócios de muitas companhias precisa caminhar sobre alicerces de serviços e conteúdos digitais.

No post anterior falei sobre Valor Interativo, que é base do modelo de diálogo entre marcas e consumidores.  O Valor Interativo, portanto, é criado pelo modo como os consumidores usam e compartilham serviços e conteúdos digitais, gerando experiências, através de um aplicativo, uma ferramenta, uma funcionalidade, uma informação.

Se os consumidores estão cada vez menos suscetíveis a mensagens em função da torrente diária de conteúdo que é disponibilizada, naturalmente tais consumidores passam a criar vínculos afetivos com as marcas – e não com produtos. Em suma, estabelecer uma relação sólida entre sua marca e seus consumidores é peça fundamental para se obter sucesso nesta teia de informações voláteis que é a Internet, na qual um testemunhal com grande autoridade pode construir ou destruir reputações (de uma empresa, entidade, político, celebridade…).

Lembre-se: construa o relacionamento de seus consumidores com a sua marca, porque produtos e serviços são passíveis à obsolescência. Uma marca, no entanto, pode ser admirada por toda uma vida.

Share This Article :

Related Posts

Inovação e empregabilidade

15 de fevereiro de 2018

Inovação é a saída para o varejo

14 de dezembro de 2017

Comments (4)

  1. Luana says:

    Acredito que seja um conjunto. Inicia-se em um produto/serviço que a partir daí desperta o interesse na marca, este vai trazer a idéia de qualidade e, incontrolavelmente o apego pela marca. O produto/Serviço é o primeiro passo e aí a marca precisa começar a fazer sua parte para manter a estima do consumidor.
    Mas, concordo plenamente que a marca é quem responde o completo louvor.

    1. edmarbulla says:

      Concordo, Luana. Seja qual for o caminho, a direção correta a seguir é o envolvimento emocional entre a marca e o consumidor. Este tem que ser o objetivo final, tanto em relação ao aspecto financeiro (lucro), quanto ao aspecto de posicionamento de marca. Vale a pena o exercício de selecionar 10 marcas no mercado que cumprem bem esse papel. Que tal? Abraço, Bulla.

  2. juan says:

    Sulfúrico pra mim é: não ter ganho o N900 no sorteio =p
    esperamos outras oportunidades, sucesso nessa nova fase.
    Abraço.

    1. edmarbulla says:

      Obrigado, Juan! Sorte nas próximas. Valeu pela participação. Abraço, Bulla.

Leave A Reply